MÊS DE MARIA – Décimo quinto dia: O Nascimento de Jesus Cristo

1. Circunstâncias do nascimento de Jesus;
2. Sua pobreza extrema;
3. Sentimentos de Maria e de José.

ORAÇÕES PARA TODOS OS DIAS DO MÊS

Oração preparatória

Abri, Senhor, a minha boca para louvar o vosso Santo Nome. Purificai também o meu coração de todos os vãos, perversos e estranhos pensamentos, iluminai meu entendimento, inflamai minha vontade para que digna, atenta e devotamente possa fazer esta devoção e mereça ser atendido diante de vossa Divina Majestade. Por Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém.

V. Sede em meu favor, Deus onipotente.
R. Em me socorrer sede diligente.
V. Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo também.
R. Como era no princípio, seja agora e sempre. Amém.

Invocação ao Espírito Santo

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo de vosso amor.
V. Senhor, enviai o vosso Espírito e tudo será criado.
R. E renovareis a face da terra.

ORAÇÃO

Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a iluminação do Espírito Santo, fazei que nos regulemos segundo o mesmo Espírito e que gozemos sempre da sua consolação. Por Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém.

Oração de São Bernardo à Santíssima Virgem

Lembrai-vos, ó puríssima Virgem Maria, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que tem recorrido à vossa proteção, implorado vossa assistência e reclamado vosso socorro, fosse por vós desamparado. Animado eu pois com uma igual confiança a vós, Virgem entre todas singular, como a Mãe recorro. De vós me valho; e gemendo com o peso de meus pecados, me prostro a vossos pés. Não rejeiteis minhas súplicas, ó Mãe do Filho de Deus humanado; mas dignai-vos de as ouvir propícia, e de me alcançar o que vos rogo. Amém.

Ato para antes da meditação

Eu estou na presença de Deus. Ele me vê, me ouve e penetra até o íntimo de minha alma, descobrindo nela os meus mais recônditos pensamentos e afetos. Ah, como poderei sustentar a face do Deus de toda a santidade? Sendo tão miserável pecador, quando penso em minhas numerosas infidelidades, em tantos e tão enormes atentados que tenho cometido contra o meu Criador, o temor e o remorso se apoderam de mim e quase não me atrevo a levantar os olhos para o céu… A vós me socorro, ó divina Maria. Por toda a parte vos ouço chamar o refúgio dos pecadores, a consolação dos aflitos, a Mãe de misericórdia; sede pois o meu refúgio, minha esperança, minha Mãe, e alcançai-me o perdão de vosso adorado Filho.

Piedosíssima Virgem, bem conheceis minha ignorância e fraqueza. Sem os auxílios da graça não sou capaz de bem algum; nem mesmo posso ter um bom pensamento, nem excitar um bom sentimento em minha alma. Dignai-vos, vós mesma ensinar-me a orar. Afastai de mim todas as distrações, derretei o gelo de meu coração, inspirai-me atenção, recolhimento e fervor para fazer bem esta oração.

O Nascimento de Jesus Cristo

1. Circunstâncias do nascimento de Jesus;
2. Sua pobreza extrema;
3. Sentimentos de Maria e de José.

Primeiro Ponto: Circunstâncias do nascimento de Jesus

Entremos em espírito no pobre presépio de Belém, e consideremos com os olhos da fé as circunstâncias do nascimento de nosso adorável Salvador. Neste mesquinho albergue é que a Virgem Maria, arrebatada em sublime contemplação e abrasada em um ardente amor de Deus e um desejo extremo de ver o seu Filho, sem sofrer a menor dor e sem deixar de ser a mais pura das Virgens, deu a luz o Rei do Céu e da terra, o Messias prometido e esperado havia quatro mil anos. Prostremo-nos com profundo respeito aos pés deste divino infante, adoremo-lo como nosso Criador, nosso Redentor, nosso Soberano Mestre e nosso Deus. Depois de lhe termos tributado nossa vassalagem com todos os afetos que a fé, a religião, o amor e a gratidão podem inspirar-nos, rendamos os mesmos obséquios a sua terna Mãe. Felicitemo-la pela ventura inefável que goza, de ser Mãe do seu Deus. Honremo-la nesta qualidade e ponhamos nela toda a nossa confiança.

Segundo Ponto: Sua pobreza extrema

Não é possível compreender quais foram os sentimentos de alegria, de veneração e de ternura desta Mãe bem-aventurada sustentando em seus braços pela primeira vez este divino infante que ela adorava, que reverenciava como seu Deus e que amava como seu Filho único. Envolve-o em panos, deita-o em uma manjedoura e prostra- -se para o adorar. Ó terna e divina Mãe, quão viva dor não sentiríeis vendo-vos obrigada a repousar sobre a palha áspera e fria de uma pobre manjedoura o terno e delicado corpo do recém-nascido Jesus! Inclino-me a acreditar que, apesar de vosso desapego de todos os bens da terra, algum pesar teríeis naquela ocasião por não ter em que reclinar e agasalhar vosso Santíssimo Filho de um modo mais cômodo para a sua infância e mais conveniente a um Deus. Mas, se não podeis oferecer-lhe os bens e comodidades da vida, ofereceis-lhe um dom muito mais precioso; dais-lhe e consagrais-lhe vossos cuidados, vossos trabalhos, vossa vida, vosso maternal coração todo abrasado em amor. Ó, que não possa eu também fazer-lhe tão agradável oferta?

Terceiro Ponto: Sentimentos de Maria e de José

Consideremos a Maria e a José no presépio: é o mais excelente modelo de oração que podemos propor-nos. O mundo se acha inteiramente banido da sua lembrança; ocupam-se unicamente do Verbo aniquilado a seus olhos; exprimem-lhe os afetos do seu coração, não com palavras, nem com cânticos, mas com uma admiração muda e com um profundo silêncio, entregando-se sem resistência aos movimentos interiores que sentem, e que este adorável menino produz. Ó Maria! Ó José! Fazei-me participante dos vossos sentimentos. Permiti que, à vossa imitação, eu não ache gosto senão em Jesus, e que o ame, se é possível, tanto quanto vós o amais.

ORAÇÃO

Contemplemos a imagem mais encantadora que pode ser oferecida aos olhos dos Anjos e dos homens. É Maria, a Rainha do universo, sustentando sobre seu coração maternal o adorável Jesus, o mais belo dos filhos dos homens. Ó Mãe bem-aventurada, quando vejo o meu Deus nos vossos braços, foge de mim todo o temor e só me sinto cheio de amor para com Ele e para convosco. E que temor posso eu ter, depois que Jesus consentiu em ser enfaixado pelas vossas mãos abençoadas e, deste modo, se pôs, por assim dizer, na impossibilidade de levantar o braço para me castigar? Ó Maria, que ligastes tantas vezes a Jesus com as faixas da sua infância, ligai também com as prisões do seu amor a este pobre pecador que estais a ver a vossos pés. Fazei que eu viva, que morra inseparavelmente unido a Jesus e a vós, até que chegue àquela pátria ditosa onde nunca mais ficarei exposto ao perigo de me separar de vós e de vosso Santíssimo Filho.

EXEMPLO

A confissão

Um dos mais perigosos artifícios que o inimigo da salvação emprega para a perda das almas é inspirar aos pecadores uma deplorável vergonha, que lhes fecha a boca no santo tribunal e lhes impede que descubram suas chagas interiores ao médico espiritual. Um homem que tivera até certo tempo uma vida bastante regular teve a desgraça de cair em uma culpa grave. Havendo depois entrado em si, compreendeu toda a enormidade do crime que cometera e seu primeiro pensamento foi recorrer ao saudável remédio da penitência, mas concebeu tanta vergonha desta culpa, que não pôde resolver-se a confessá-la. Atormentado pelos remorsos de sua consciência, que não lhe dava um momento de repouso, tomou a insensata resolução de ir afogar-se, esperando que, deste modo, poria fim às suas penas. Porém, quando chegou à borda do rio, tremeu a vista da desgraça eterna em que ia precipitar-se e voltou chorando ardentes lágrimas, e pedindo ao Senhor que lhe perdoasse o seu pecado, sem que fosse obrigado a confessá–lo. Julgou poder recobrar a paz da alma, visitando muitas igrejas e fazendo nelas orações e obras de penitência. Mas foi em vão, Deus queria lhe conceder por intercessão da Santíssima Virgem. Uma noite, que ele se achava abismado em uma profunda melancolia, sentiu-se fortemente inspirado para ir confessar-se. Levantou-se de madrugada e foi à igreja. Mas, quando estava a ponto de chegar ao tribunal da penitência, sentiu-se mais do que nunca atormentado por aquela funesta vergonha e não teve força para executar o que a graça lhe inspirava. Algum tempo depois aconteceu-lhe o mesmo: foi à mesma igreja, mas foi também suspendido pela mesma vergonha, e tomou a resolução de antes morrer, do que declarar o seu pecado a um confessor. Veio-lhe todavia ao pensamento encomendar-se à Santíssima Virgem antes de entrar em casa. Vai prostrar-se junto do altar da Mãe de Deus, representa-lhe a grande necessidade que tem de seu socorro e pede-lhe com instância que não o abandone. Admirável efeito da oração! A Mãe de misericórdia compadeceu-se dos gemidos deste desgraçado pecador e lhe alcançou de seu Filho, vitória da terrível tentação que o perseguia. Apenas se pôs de joelhos, sentiu seu coração inteiramente mudado. Levantou-se cheio de ânimo, foi ter com o seu confessor e declarou-lhe todos os seus pecados, derramando torrentes de lágrimas. Pareceu-lhe que se lhe tirara um peso enorme de cima da consciência e confessou depois que, no momento em que recebeu a absolvição, sentiu maior contentamento do que se tivesse adquirido todo o ouro do mundo. (O S. Liguori, Muzzarelli)

PRÁTICA

Peçamos sempre à Santíssima Virgem que nos alcance as graças necessárias para a nossa salvação.

JACULATÓRIA

Hac tota fiducia mea.
Ó Maria, eu ponho em vós, abaixo de Deus, toda a minha confiança.

Ato para depois da meditação

Bendito sejais, meu Deus, pelas graças que acabais de conceder-me durante esta oração, pelas luzes e bons pensamentos que nela me destes, pelas santas impressões com que movestes meu coração, pelas saudáveis resoluções que me inspirastes. Perdoai-me as distrações, as negligências, a tibieza e a resistência à vossa graça, de que me tornei culpado. Virgem Piedosíssima, minha boa e terna Mãe, eu me lanço com uma inteira confiança em vossos braços, para achar em vosso coração um asilo seguro contra todos os perigos a que poderei achar-me exposto. Tomai-me debaixo de vossa proteção; vigiai em minha defesa; trazei-me à memória muitas vezes as minhas resoluções e alcançai-me a graça de as praticar fielmente.

ANTÍFONA

V. Toda sois formosa, ó Maria.
R. Toda sois formosa, ó Maria.
V. E não vos manchou o pecado original.
R. E não vos manchou o pecado original.
V. Vós sois a glória de Jerusalém.
R. Vós sois a alegria de Israel.
V. Vós sois a honra do vosso povo.
R. Vós sois a advogada dos pecadores.
V. Ó, Maria!
R. Ó, Maria!
V. Virgem prudentíssima.
R. Mãe clementíssima.
V. Rogai por nós.
R. Intercedei por nós a Nosso Senhor Jesus Cristo.
V. Fostes, ó Virgem, imaculada na vossa Conceição.
R. Rogai por nós ao Pai, cujo Filho destes à luz.

OREMOS

Ó, Deus que preparastes uma digna morada para vosso Filho, pela imaculada Conceição da Virgem Maria, preservando-a de toda a culpa, pela previsão da morte do mesmo seu Filho, concedei-nos pela intercessão desta Senhora, que purificados de toda a mácula, cheguemos a gozar a vossa vista. Pelo mesmo Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém.

Ladainha de Nossa Senhora

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Pai do Céu, que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho Redentor do mundo que sois Deus, tende piedade de nós.
Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Trindade Santa que sois um só Deus, tende piedade de nós.
Santa Maria, rogai por nós.
Santa Mãe de Deus,
Santa Virgem das virgens,
Mãe de Jesus Cristo.
Mãe da divina graça,
Mãe puríssima,
Mãe castíssima,
Mãe imaculada,
Mãe intemerata,
Mãe amável,
Mãe admirável,
Mãe do bom conselho,
Mãe do Criador,
Mãe do Salvador,
Virgem prudentíssima,
Virgem venerável,
Virgem louvável,
Virgem poderosa,
Virgem clemente,
Virgem fiel,
Espelho de justiça,
Sede da sabedoria,
Causa da nossa alegria,
Vaso espiritual,
Vaso digno de honra.
Vaso insigne de devoção,
Rosa mística,
Torre de Davi,
Torre de marfim.
Casa de ouro,
Arca da aliança,
Porta do Céu,
Estrela da manhã,
Saúde dos enfermos,
Refúgio dos pecadores,
Consoladora dos aflitos,
Auxílio dos Cristãos,
Rainha dos Anjos,
Rainha dos Patriarcas,
Rainha dos Profetas,
Rainha dos Apóstolos,
Rainha dos Mártires,
Rainha dos Confessores,
Rainha das Virgens,
Rainha de todos os Santos,
Rainha concebida sem pecado original,
Rainha assunta ao Céu,
Rainha do sacratíssimo Rosário,
Rainha da Paz,
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirai os pecados do mundo, tende piedade de nós.

ANTÍFONA

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia…

OREMOS

Infundi, Senhor, como vos suplicamos a vossa graça em nossas almas, para que nós, que pela anunciação do Anjo cremos na encarnação do vosso Filho, pela sua paixão e morte de cruz sejamos conduzidos à glória da ressurreição. Pelo mesmo Jesus Cristo, Nosso Senhor.

R. Amém.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s