MÊS DE MARIA – Trigésimo primeiro dia: Sobre a nossa consagração à Santíssima Virgem

1. Qualidade que deve ter a nossa consagração;
2. A quanto nos obriga;
3. Utilidades que nos procura.

ORAÇÕES PARA TODOS OS DIAS DO MÊS

Oração preparatória

Abri, Senhor, a minha boca para louvar o vosso Santo Nome. Purificai também o meu coração de todos os vãos, perversos e estranhos pensamentos, iluminai meu entendimento, inflamai minha vontade para que digna, atenta e devotamente possa fazer esta devoção e mereça ser atendido diante de vossa Divina Majestade. Por Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém.

V. Sede em meu favor, Deus onipotente.
R. Em me socorrer sede diligente.
V. Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo também.
R. Como era no princípio, seja agora e sempre. Amém.

Invocação ao Espírito Santo

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo de vosso amor.
V. Senhor, enviai o vosso Espírito e tudo será criado.
R. E renovareis a face da terra.

ORAÇÃO

Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a iluminação do Espírito Santo, fazei que nos regulemos segundo o mesmo Espírito e que gozemos sempre da sua consolação. Por Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém.

Oração de São Bernardo à Santíssima Virgem

Lembrai-vos, ó puríssima Virgem Maria, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que tem recorrido à vossa proteção, implorado vossa assistência e reclamado vosso socorro, fosse por vós desamparado. Animado eu pois com uma igual confiança a vós, Virgem entre todas singular, como a Mãe recorro. De vós me valho; e gemendo com o peso de meus pecados, me prostro a vossos pés. Não rejeiteis minhas súplicas, ó Mãe do Filho de Deus humanado; mas dignai-vos de as ouvir propícia, e de me alcançar o que vos rogo. Amém.

Ato para antes da meditação

Eu estou na presença de Deus. Ele me vê, me ouve e penetra até o íntimo de minha alma, descobrindo nela os meus mais recônditos pensamentos e afetos. Ah, como poderei sustentar a face do Deus de toda a santidade? Sendo tão miserável pecador, quando penso em minhas numerosas infidelidades, em tantos e tão enormes atentados que tenho cometido contra o meu Criador, o temor e o remorso se apoderam de mim e quase não me atrevo a levantar os olhos para o céu… A vós me socorro, ó divina Maria. Por toda a parte vos ouço chamar o refúgio dos pecadores, a consolação dos aflitos, a Mãe de misericórdia; sede pois o meu refúgio, minha esperança, minha Mãe, e alcançai-me o perdão de vosso adorado Filho.

Piedosíssima Virgem, bem conheceis minha ignorância e fraqueza. Sem os auxílios da graça não sou capaz de bem algum; nem mesmo posso ter um bom pensamento, nem excitar um bom sentimento em minha alma. Dignai-vos, vós mesma ensinar-me a orar. Afastai de mim todas as distrações, derretei o gelo de meu coração, inspirai-me atenção, recolhimento e fervor para fazer bem esta oração.

Sobre a nossa consagração à Santíssima Virgem

1. Qualidade que deve ter a nossa consagração;
2. A quanto nos obriga;
3. Utilidades que nos procura.

Primeiro Ponto: Qualidade que deve ter a nossa consagração

Consideremos as qualidades que deve ter a nossa consagração à Mãe de Deus, para que possa ser-lhe agradável e proveitosa para nós. Deve ser sincera, isto é, não deve consistir somente em palavras e em vãs protestações de fidelidade e amor, mas sim, partir de um coração profundamente cheio de respeito, de veneração e de ternura para com esta admirável Mãe. Deve ser perfeita e inteira, isto é, devemos oferecer e consagrar à glória de Maria o nosso espírito, o nosso corpo, todas as nossas faculdades, tudo o que possuímos, tudo o que somos, desejando depender dela em todas as coisas, como da nossa Soberana Senhora e cara Mãe. Enfim, esta consagração deve ser irrevogável. Uma vez que nos consagremos a Maria, devemos considerar-nos como não pertencendo já a nós mesmos, mas só como filhos, servos, súditos, escravos desta augusta Rainha, que deve reinar para sempre em nossos corações. Ó Maria, que ventura não é pertencer-vos, ser todo vosso e de vosso divino Filho, e não viver senão para Jesus e para vós.

Segundo Ponto: A quanto nos obriga

Consideremos a quanto nos obriga a nossa consagração a Maria. Na qualidade de filhos e de servos da Rainha do Céu, devemos honrá-la, servi-la todos os dias de nossa vida, com profundíssimo respeito, com todos os sentimentos de veneração que são devidos à Mãe de Deus: amá-la como nossa Mãe, com toda a ternura de que nossos corações são capazes, invocá-la todos os dias com inteira confiança, publicar por toda parte suas grandezas, ganhar-lhe servos fiéis, dilatar seu culto o quanto em nós couber, enfim, trabalhar para seguir seus passos, imitar seus exemplos e as eminentes virtudes que a fizeram a mais santa de todas as criaturas. Tais são os deveres que deve impor- -nos a consagração de nós mesmos, que queremos fazer à Santíssima Virgem. Estamos nós na resolução de os cumprir com fidelidade?

Terceiro Ponto: Utilidades que nos procura

Consideremos as utilidades que estão ligadas a esta consagração. A devoção à Mãe de Deus, diz um autor devoto, traz consigo tantas bênçãos, que a eternidade toda não será assaz longa para reconhecermos os benefícios que dela provém…. Os pobres nela encontram riquezas para aliviar sua indigência; os enfermos, remédio para seus males; os ignorantes, ciência; os fracos, força; os aflitos, consolação; aqueles que gemem em trabalhos, nesta devoção encontram descanso; os que vivem inquietos, acham nela paz; os pecadores, graça; os justos, santificação; as almas do purgatório, o suspirado livramento. Enfim, não há condição alguma que não participe de suas liberalidades; não há nação, não há reino, não há paz que não experimente sua proteção. Toda a terra está cheia de suas misericórdias. O seu coração, aquele precioso coração, que é, depois do de Jesus, o mais puro, o mais terno, o mais compassivo de todos os corações, tem sozinho por si mais amor e perfeição, do que todos os Anjos e Santos; e portanto tem para conosco incomparavelmente maior ternura, maior compaixão, maior tendência a socorrer-nos do que todos os Santos. E deste coração misericordioso, como de um manancial inexaurível, flui sobre todas as criaturas uma multidão quase infinita de toda a qualidade de bens. Ora, se esta divina Mãe se interessa tão vivamente por todos os homens, o que não fará ela em favor daqueles, que a amam e que lhe consagram todos os afetos de seu coração para a honrar e servir?

ORAÇÃO

Ó Mãe do divino amor, vós sabeis que vosso Santíssimo Filho, não contente de se ter feito nosso advogado para com seu eterno Pai, vos estabeleceu nossa mediadora junto dele, e deu tanta eficácia às vossas súplicas, que nada lhes é recusado. A vós pois recorro, ó esperança dos miseráveis. É tal a minha confiança em vós, que muito mais espero da vossa proteção e misericórdia, do que de todas as minhas obras. Aquele que é por vós protegido não pode perder-se, o Céu e a terra o sabem. Por isso, embora se esqueçam de mim todas as criaturas, e me desampare todo o universo, contanto que vós de mim vos não esqueçais e que eu não seja por vós abandonado, tenho tudo quanto desejo. Ó Virgem Maria, confio em vós. Nesta esperança vivo, nesta esperança desejo morrer, repetindo com o coração e com a boca: Jesus é minha esperança; e depois de Jesus sois vós, ó Virgem Maria!

EXEMPLO

Consagração a Maria

Alguns exemplos de consagração a Maria que vamos referir nos ensinarão quais devem ser os sentimentos com que devemos fazer a consagração solene de nós mesmos à Santíssima Virgem, a qual deve coroar os exercícios deste mês de graças e bênçãos.
Santo Afonso de Ligório conta a história de uma pobre pastora que tinha um afeto tão terno para com a Santíssima Virgem, que toda sua ventura era retirar-se a uma capelinha de Nossa Senhora, situada no alto de uma serra, onde ficava largas horas conversando com sua divina Mãe. Aflita por ver a imagem da Mãe de Deus sem ornato algum, fez-lhe um manto do melhor tecido que pôde conseguir. Em outra ocasião colheu flores nos campos vizinhos, com as quais formou uma grinalda. Depois, subindo ao altar, colocou-a sobre a cabeça da imagem. Feito isto, disse a Maria: “Ó minha Mãe, eu quisera colocar sobre vossa fronte uma coroa de ouro e de pedras preciosas, mas como não sou mais que uma pobre pastora, apenas posso dar-vos uma coroa de flores. Aceitai-a ao menos como um penhor do meu amor”. Esta singela homenagem do coração foi tão agradável à Santíssima Virgem, que favoreceu a devota pastora com um sem-número de graças espirituais, e no momento de sua morte, que aconteceu pouco tempo depois, apareceu-lhe, trazendo na mão uma coroa, a qual lhe pôs na cabeça, e ela própria a conduziu ao Céu.
O Beato Hermano, da ordem dos Premonstratenses (uma Ordem de Santo Agostinho), que pelo seu amor a Maria foi apelidado José, sendo ainda menino, se afastava dos divertimentos de sua idade para vir entreter-se horas inteiras com a Santíssima Virgem e seu divino Filho diante de uma imagem, que a representava com o menino Jesus nos braços. Ali, humildemente prostrado, se dirigia familiarmente ora à Mãe, ora ao Filho, com aquela santa simplicidade que Deus só pode inspirar a uma alma inocente. Esta devota ingenuidade o movia ordinariamente a apresentar à Santíssima Virgem algumas flores ou frutos que lhe davam, instando-a com uma afetuosa importunação para que aceitasse estes presentinhos e os tornasse gratos a seu amado Filho. Agradou a ambos esta inocente simplicidade, e o devoto menino mereceu assim gozar suas divinas conversações de um modo sensível e chegar, por meio delas, às mais sublimes virtudes.
São Bernardino de Senna tinha do mesmo modo desde sua infância tomado o costume de ir todas as manhãs saudar uma imagem da Santíssima Virgem que estava sobre uma das portas da cidade, e ali, prostrado por terra, se consagrava ao seu serviço. Seu zelo e devoção agradaram tanto à Mãe de Deus, que lhe procurou a graça da vocação religiosa, o dom de converter pecadores e o poder de obrar milagres. São Bernardino foi com efeito um insigne pregador e fez brilhar em toda a Igreja a luz de sua doutrina e o esplendor de suas virtudes.
Santo Estanislau Kostka tinha do mesmo modo tomado a Virgem Santíssima desde sua infância por mãe e protetora. Não cessava de falar nela; tinha sempre nas mãos o seu rosário ou a sua imagem, ou algum livro em sua honra, e convidava a todos a que se consagrassem ao seu culto. Tinha-lhe pedido que lhe alcançasse a graça de morrer no dia da sua gloriosa Assunção. Foi ouvido, adoecendo no mesmo dia; entrou em agonia na manhã do dia da Assunção e morreu já grande santo antes da idade de dezenove anos.
Santa Clara, desde os seus primeiros anos, também havia se consagrado inteiramente à Santíssima Virgem e rezava a Ave-Maria com uma terna devoção muitas vezes cada dia. Deste modo alcançou depois para si e para sua Ordem essa proteção especial de Maria, de que a Igreja no seu Ofício se felicita.
Santa Tereza de Jesus igualmente se consagrou desde sua infância ao amor da Santíssima Virgem. Sua ternura para com esta Mãe amabilíssima lhe inspirava mil esforços para a honrar. Mandou fazer um oratório onde tinha sua imagem. Frequentes vezes a visitava, oferecia-lhe flores ou outros presentinhos que acompanhava sempre com fervorosas orações. Estes ternos sentimentos lhe tinham sido inspirados por sua piedosa mãe Beatriz. Tendo perdido esta mãe querida na idade de doze anos, sentiu vivamente a grandeza de tal perda e correu logo a prostrar-se diante da imagem de Maria Santíssima, pedindo-lhe para substituir o lugar de sua mãe e recebê-la por filha. Esta oferta foi tão grata à Mãe de Deus, que desde esse momento a tomou debaixo de sua especial proteção e a dirigiu em todos os seus desígnios. A mesma Santa assegura que em todas as circunstâncias em que se encomendara a Maria, tinha experimentado os efeitos de sua poderosa proteção. Por isso tinha uma tão grande confiança nesta Mãe de misericórdia, que lhe entregava as chaves de todos os Conventos que fundava e a constituía Superiora deles.
Depois de tais exemplos, com quanto empenho não devemos nós também consagrar-nos à Virgem Maria! Se queremos que a nossa oferta lhe seja agradável, apresentemos-lhe corações cheios de respeito e veneração, cheios de confiança e ternura. Corações ornados e santificados pela prática daquelas virtudes de que a mesma amabilíssima Senhora nos deu tão admiráveis exemplos. Não façamos consistir nossa devoção em um culto exterior de devotos exercícios, acompanhemo-los com os sentimentos do mais afetuoso amor e com a prática das virtudes cristãs. Para agradarmos a esta terna Mãe, é necessário que sigamos à risca as divinas leis de seu Filho. Maria é, e tem sido sempre, muito especial protetora dos brasileiros. Mas, para que continue a sê-lo, cumpre que eles lhe sejam fiéis e não se afastem do verdadeiro caminho que conduz à salvação. Façamos pois da nossa parte o quanto podermos para merecer a proteção de tão amante Mãe, e peçamos-lhe ardentemente a mesma graça para aqueles dentre nossos irmãos, que dela se tiverem tornado indignos.

PRÁTICA

Façamos a nossa consagração a Maria com todos os sentimentos da mais terna devoção, e tomemos a resolução de a renovar de tempo em tempo.

JACULATÓRIA

Tuus sum ego; salvum me fac.
Ó Virgem Maria, eu sou todo vosso; tende cuidado da minha salvação.

Ato para depois da meditação

Bendito sejais, meu Deus, pelas graças que acabais de conceder-me durante esta oração, pelas luzes e bons pensamentos que nela me destes, pelas santas impressões com que movestes meu coração, pelas saudáveis resoluções que me inspirastes. Perdoai-me as distrações, as negligências, a tibieza e a resistência à vossa graça, de que me tornei culpado. Virgem Piedosíssima, minha boa e terna Mãe, eu me lanço com uma inteira confiança em vossos braços, para achar em vosso coração um asilo seguro contra todos os perigos a que poderei achar-me exposto. Tomai-me debaixo de vossa proteção; vigiai em minha defesa; trazei-me à memória muitas vezes as minhas resoluções e alcançai-me a graça de as praticar fielmente.

ANTÍFONA

V. Toda sois formosa, ó Maria.
R. Toda sois formosa, ó Maria.
V. E não vos manchou o pecado original.
R. E não vos manchou o pecado original.
V. Vós sois a glória de Jerusalém.
R. Vós sois a alegria de Israel.
V. Vós sois a honra do vosso povo.
R. Vós sois a advogada dos pecadores.
V. Ó, Maria!
R. Ó, Maria!
V. Virgem prudentíssima.
R. Mãe clementíssima.
V. Rogai por nós.
R. Intercedei por nós a Nosso Senhor Jesus Cristo.
V. Fostes, ó Virgem, imaculada na vossa Conceição.
R. Rogai por nós ao Pai, cujo Filho destes à luz.

OREMOS

Ó, Deus que preparastes uma digna morada para vosso Filho, pela imaculada Conceição da Virgem Maria, preservando-a de toda a culpa, pela previsão da morte do mesmo seu Filho, concedei-nos pela intercessão desta Senhora, que purificados de toda a mácula, cheguemos a gozar a vossa vista. Pelo mesmo Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém.

Ladainha de Nossa Senhora

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Pai do Céu, que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho Redentor do mundo que sois Deus, tende piedade de nós.
Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós.
Trindade Santa que sois um só Deus, tende piedade de nós.
Santa Maria, rogai por nós.
Santa Mãe de Deus,
Santa Virgem das virgens,
Mãe de Jesus Cristo.
Mãe da divina graça,
Mãe puríssima,
Mãe castíssima,
Mãe imaculada,
Mãe intemerata,
Mãe amável,
Mãe admirável,
Mãe do bom conselho,
Mãe do Criador,
Mãe do Salvador,
Virgem prudentíssima,
Virgem venerável,
Virgem louvável,
Virgem poderosa,
Virgem clemente,
Virgem fiel,
Espelho de justiça,
Sede da sabedoria,
Causa da nossa alegria,
Vaso espiritual,
Vaso digno de honra.
Vaso insigne de devoção,
Rosa mística,
Torre de Davi,
Torre de marfim.
Casa de ouro,
Arca da aliança,
Porta do Céu,
Estrela da manhã,
Saúde dos enfermos,
Refúgio dos pecadores,
Consoladora dos aflitos,
Auxílio dos Cristãos,
Rainha dos Anjos,
Rainha dos Patriarcas,
Rainha dos Profetas,
Rainha dos Apóstolos,
Rainha dos Mártires,
Rainha dos Confessores,
Rainha das Virgens,
Rainha de todos os Santos,
Rainha concebida sem pecado original,
Rainha assunta ao Céu,
Rainha do sacratíssimo Rosário,
Rainha da Paz,
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirai os pecados do mundo, tende piedade de nós.

ANTÍFONA

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia…

OREMOS

Infundi, Senhor, como vos suplicamos a vossa graça em nossas almas, para que nós, que pela anunciação do Anjo cremos na encarnação do vosso Filho, pela sua paixão e morte de cruz sejamos conduzidos à glória da ressurreição. Pelo mesmo Jesus Cristo, Nosso Senhor.

R. Amém.

No último dia depois das orações de costume, dir-se-ão as duas orações seguintes:

CONSAGRAÇÃO À SANTÍSSIMA VIRGEM

ORAÇÃO PARA OFERECER O CORAÇÃO A MARIA SANTÍSSIMA NO ÚLTIMO DIA DO MÊS DE MAIO

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s