Tag: Missa Tridentina

A Missa vai começar – Posturas do fiel durante a celebração

Em que momento devemos entrar na igreja para o início da Missa?

Devemos chegar sempre alguns minutos antes para nos recolhermos na oração, preparar o missal e, sendo necessário, nos confessarmos para poder comungar.

É permitido chegar atrasado na Missa?

Não é permitido chegar atrasado porque seria uma falta de respeito para com Deus, além de evidente prejuízo espiritual para as almas.

Existe alguma ordem formal da Igreja sobre isso?

Sim, um dos mandamentos da Igreja diz: assistir missa completa todos os domingos.

E se acontecer algum imprevisto no meio do caminho?

A Igreja tolera pequenos atrasos não culposos. Por isso ela considera que, chegando na missa dominical (ou festa de preceito) até o Evangelho, pode-se ainda comungar.  É preciso, no entanto, evitar sempre o atraso. O prejuízo é muito grande quando se perde as leituras e o sermão da missa.

Qual o melhor lugar para se assistir à missa?

Em princípio qualquer banco da igreja deveria servir para a boa assistência. Na prática, constata-se que as pessoas que ficam no fundo têm a tendência a se dispersar, se distrair, conversar, fazer sinais aos vizinhos, chamando a atenção para coisas que distraem do essencial. Evidentemente estes costumes são prejudiciais para as almas e podem chegar a ser pecado.

Qual o melhor modo de se assistir à Missa?

Usando o missal Latim-Português podemos acompanhar as belíssimas orações que a Igreja reza durante o Santo Sacrifício. Com o missal, também podemos acompanhar melhor os gestos e ritos que são explicados passo a passo.

Continuar lendo “A Missa vai começar – Posturas do fiel durante a celebração”

Bula Quo Primum Tempore

O texto que apresentamos a seguir é a tradução da Bula Quo Primum Tempore, do Papa São Pio V, datada de 14 de julho de 1570. Poucos são os documentos pontifícios que apresentam tamanho vigor, clareza, determinação. E isso tudo, para proteger a Santa Missa dos ataques dos inimigos.

Feita na medida do nosso tempo, a Bula de São Pio V precisa ser conhecida por todos os fiéis empenhados no combate pela Tradição, pela Missa de sempre. Ela é nossa principal arma, mais do que uma arma, uma muralha protetora, inquebrantável, intransponível.

Continuar lendo “Bula Quo Primum Tempore”

Atitudes e gestos litúrgicos

As cerimônias que evolucionam em torno de elementos materiais, expressão dos sentimentos religiosos do homem e símbolos em certo modo produtivos da graça – Sacramentos, Sacramentais – figuram e realizam eficazmente o comércio do homem, prisioneiro das aparências sensíveis, e de Deus, “que habita uma luz inacessível”.

Mas não basta. Por causa da mútua dependência fisiológica atual do espírito e da matéria que se compõe, o homem tem necessidade de recorrer constantemente à atividade do corpo para excitar e manifestar a atividade da alma. Continuar lendo “Atitudes e gestos litúrgicos”

Santa Missa na festa de Santo Agostinho será celebrada por Pe. Juan Maria de Montagut, superior da FSSPX no Brasil

Com alegria comunicamos aos nossos leitores e fiéis da Capela Santo Agostinho, que o Pe. Juan Maria de Montagut Puertollano, superior da Casa Autônoma da Fraternidade Sacerdotal São Pio X no Brasil, estará em Parnaíba-PI nos dias 27 e 28 deste mês de agosto de 2018, quando celebrará a Santa Missa Tridentina por ocasião da festa de nosso padroeiro, Santo Agostinho.

Para maiores informações acerca da programação, que deverá contar também com atendimentos, administração do sacramento da confissão, reuniões e conferências, utilize o link do nosso formulário de contato ou envie e-mail diretamente para santoagostinhocapela@gmail.com

Equipe de Comunicação da Capela Santo Agostinho

Qual deve ser a frequência do católico no Santo Sacrifício da Missa

A Santa Missa é a cerimônia religiosa e solene mais comum entre os católicos. Além de ser celebrada nos domingos e dias santos, quando há obrigação rigorosa de assisti-la, ela é celebrada diariamente e fortalece a piedade do cristão zeloso, em especial quando ele tem a graça de comungar. É, então, proveitoso à alma também assisti-la em certas ocasiões especiais tais como: nos aniversários de graças importantes recebidas, nos dias da quaresma, na quinzena pascal.

O fiel pode assistir à Missa diariamente sempre que tiver a possibilidade e principalmente aqueles que Continuar lendo “Qual deve ser a frequência do católico no Santo Sacrifício da Missa”

Papel especial de Maria nos últimos tempos

por São Luis Maria Grignion de Montfort

Por meio de Maria começou a salvação do mundo e é por Maria que deve ser consumada. Na primeira vinda de Jesus Cristo, Maria quase não apareceu, para que os homens, ainda insuficientemente instruídos e esclarecidos sobre a pessoa de seu Filho, não se lhe apegassem demais e grosseiramente, afastando-se, assim, da verdade. E isto teria aparentemente acontecido devido aos encantos admiráveis com que o próprio Deus lhe havia ornado a aparência exterior. […]

Mas, na segunda vinda de Jesus Cristo, Maria deverá ser conhecida e revelada pelo Espírito Santo, a fim de que por ela seja Jesus Cristo conhecido, amado e servido, pois já não subsistem as razões que levaram o Espírito Santo a ocultar sua esposa durante a vida e a revelá-la só pouco depois da pregação do Evangelho.[…]

Nesses últimos tempos, Maria deve brilhar, como jamais brilhou, em misericórdia, em força e graça. Em misericórdia para reconduzir e receber amorosamente os pobres pecadores e desviados que se converterão e voltarão ao seio da Igreja católica; em força contra os inimigos de Deus, os idólatras, cismáticos, maometanos, judeus e ímpios empedernidos, que se revoltarão terrivelmente para seduzir e fazer cair, com promessas e ameaças, todos os que lhes forem contrários. Deve, enfim, resplandecer em graça, para animar e sustentar os valentes soldados e fiéis de Jesus Cristo que pugnarão por seus interesses.

Maria deve ser, enfim, terrível para o demônio e seus sequazes como um exército em linha de batalha, principalmente nesses últimos tempos, pois o demônio, sabendo bem que pouco tempo lhe resta para perder as almas, redobra cada dia seus esforços e ataques. Suscitará, em breve, perseguições cruéis e terríveis emboscadas aos servidores fiéis e aos verdadeiros filhos de Maria, que mais trabalho lhe dão para vencer”.

(Do livro: TRATADO DA VERDADEIRA DEVOÇÃO À SANTÍSSIMA VIRGEM)

Oração dos Pais pelos Filhos

Glorioso São José, esposo de Maria, concedei-nos Vossa proteção paterna, nós Vos suplicamos pelo coração de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vós, cujo poder se estende a todas as necessidades, sabendo tornar possíveis as coisas impossíveis, volvei Vossos olhos de pai sobre os interesses de Vossos filhos.

Na dificuldade e tristeza que nos afligem, recorremos a Vós, com toda a confiança.

Dignai-Vos tomar sob o Vosso poderoso amparo este assunto importante e difícil, causa de nossas preocupações.

Fazei que o seu êxito, sirva para a glória de Deus e bem de seus dedicados servos. Amém.

São José, Pai e protetor, pelo amor tão puro que tivestes ao Menino Jesus, preservai meus filhos – os amigos de meus filhos e os filhos dos meus amigos – das corrupções das drogas, do sexo e de outros vícios e de outros males.

São Luís de Gonzaga, socorrei os nossos filhos.

Santa Maria Goretti, socorrei os nossos filhos.

São Tarcísio, socorrei os nossos filhos.

Santos Anjos, defendei meus filhos – e os amigos de meus filhos e os filhos de meus amigos, dos assaltos do demônio que quer perder suas almas.

Jesus, Maria, José, ajudai-nos a nós pais de família.

Jesus, Maria, José, salvai nossas famílias.

Necessidade se entender as orações e as cerimônias da Santa Missa

Extraído do Catecismo da Santa Missa

É necessário conhecer profundamente a Missa?

Um ato de religião praticado com tanta frequência, tão precioso em suas graças, e tão consolador em seus frutos, é desejoso que se conheça o mais possível, na medida das nossas capacidades.

Como podemos conhecer mais profundamente a Santa Missa?

Podemos conhecê-la mais profundamente estudando seus mistérios, seus dogmas, a moral que ela encerra, e até os menores detalhes de suas cerimônias e orações.

Para que devemos conhecer tudo isto?

Para que a Missa, que é o centro do culto católico, desperte os mais vivos sentimentos de religião e de piedade.

Que mais devemos conhecer da Missa?

Devemos conhecer suas palavras sagradas em que encontramos todo o sabor da unção de que estão repletas; cada ação e cada movimento do sacerdote; cada palavra que ele pronuncia para lembrar nossa alma e nosso coração que um Deus se imola para nós, e que nós também devemos nos imolar com Ele e por Ele.

Com que estado de espírito devemos assistir a Santa Missa?

Devemos deixar fora do santuário a indiferença e o tédio, a dissipação e o escândalo, e sermos, no templo, adoradores em espírito e verdade.

Deus exige de todos os fiéis uma instrução profunda e detalhada da Missa?

Não. Deus supre a sensibilidade da fé ao conhecimento que não foi possível adquirir e jamais irá desprezar o sacrifício de um coração arrependido e humilhado. (Sl 50, 19)

Quais as disposições essenciais e suficientes para aproveitarmos do santo sacrifício da Missa?

Devemos assistir a Santa Missa com a alma penetrada de dor pelas faltas cometidas, e nos aproximarmos confiadamente deste trono da graça, unindo-nos à vítima, Nosso Senhor Jesus Cristo, e à intenção da Igreja, na pessoa do sacerdote, e por seu ministério.

Que mais é salutar conhecer?

Devemos saber as grandes vantagens espirituais que um conhecimento mais íntimo da Santa Missa proporciona aos fiéis, com a explicação literal de suas orações e cerimônias.

A Igreja, acaso, ocultaria aos fiéis algum mistério da Santa Missa?

Não. Na Igreja nada há de oculto e ela jamais pretendeu ocultar qualquer mistério aos fiéis, seja da Santa Missa, como de qualquer outra cerimônia litúrgica, como será demonstrado neste Catecismo.

Qual a principal preocupação da Igreja quanto aos mistérios da Missa?

A Igreja somente teme que o pouco discernimento sobre os mistérios possa causar má interpretação às palavras neles contidas.

Como a Igreja procura evitar possíveis más interpretações?

Apresentando sempre explicações claras dos mistérios aos fiéis.

Há orientação explícita da Igreja para explicar os mistérios da Missa aos fiéis?

Sim. Os Concílios de Mogúncia, de Colônia e de Trento, como mais adiante veremos, ordenaram claramente que se prestassem aos fiéis as explicações necessárias para o melhor entendimento possível dos mistérios da Santa Missa, evitando, assim, más interpretações.

Que outras medidas tomou a Igreja para facilitar o entendimento dos mistérios da Missa?

A Igreja colocou à disposição de todos os fiéis o ordinário da Missa, e impôs como dever dos sacerdotes a explicação das orações e das cerimônias da Santa Missa.

Além do ordinário da Missa, há outras obras específicas sobre o Santo Sacrifício?

Sim; há inúmeras obras ao alcance dos fiéis sobre a Santa Missa, publicadas através dos séculos.

A explicação da Missa é dever somente dos sacerdotes?

Não. Além dos sacerdotes é dever também dos fiéis, e seremos felizes mesmo se, com pouco conhecimento, colocarmos algumas pedras nos muros de Jerusalém, enquanto outros manejam com mão hábil a espada da palavra santa para cuidar da sua defesa.

Qual o melhor método para nos aprofundarmos no conhecimento da Santa Missa?

Para compreendermos exatamente o verdadeiro sentido das orações da Santa Missa, é necessário conhecermos todas, palavra por palavra, o significado de cada termo, dos dogmas e dos mistérios nelas contidos.

Que mais é necessário conhecer sobre as orações?

É preciso, também, conhecer os objetivos da Igreja ao estabelecer as orações, bem como deduzir ao máximo possível as intenções dos santos padres, dos antigos escritos eclesiásticos e da tradição. Para isto torna-se necessária também uma explicação histórica, literal e dogmática de tudo o que constitui a Missa.